Jogo da Glória

O Jogo da Glória representa o culminar de uma caminhada de pelo menos cinco anos na EBI de Colares. É a despedida dos alunos do 9ºano. A presença de todos os alunos do 9ºano e da maioria dos professores, numa organização do grupo de Educação Física, permite criar a atmosfera ideal a um final emotivo e cheio de recordações.

Num pavilhão repleto de alunos dos diferentes anos de escolaridade e de uma competição saudável e em ambiente de confraternização foi possível, mais uma vez, proporcionar um encerramento intenso e marcante das atividades letivas. A EBI de Colares deseja as maiores felicidades a todos.

Atividades incluídas neste vídeo: lançamentos ao cesto, toques com bola, prova de EV, corrida de sacos, jogo do arco e jogo da corda.

_

Nuno Cabanas

Filho! Onde Deixaste a Roupa?…

_

JML

Teatrinho do 3ºB

No âmbito do programa Eco-Escolas, dando ênfase ao tema dos Resíduos, os alunos do 3º B da EBI de Colares dramatizaram para os seus colegas, a História da Carochinha, numa versão Ecológica. Esta divertida história motivou os alunos para o cumprimento do dever cívico da Separação dos Resíduos.

Esta divertida história motivou os alunos para o cumprimento do dever cívico da Separação dos Resíduos.

Aqui fica a mensagem: “ Separar e Reciclar, o mundo pode melhorar!”

_

Estela Rodrigues

Vídeos Realizados pelos Alunos

_

No âmbito da disciplina de TIC, os alunos das turmas A, B, C e D do 7º ano, da escola EBI de Colares, realizaram vídeos com o software de edição de vídeo “Windows Movie Maker”.

Para a montagem dos vídeos alguns alunos utilizaram a técnica de animação “Stop motion” com muita criatividade.

Muitos parabéns aos alunos pelo trabalho realizado.

Aqui partilhamos alguns vídeos.

_

_

Florbela Ribeiro

Concursos do Eco-Escolas

Os alunos das turmas 1º C e 5º C venceram o Concurso Tampinhas.

As crianças do Jardim de Infância receberam uma Menção Honrosa devido à sua dedicação no Concurso Tampinhas.

Os alunos da turma 5º D venceram o Concurso Papelão.

 Agradecemos o envolvimento de toda a Comunidade Educativa com o Eco-Escolas na recolha de resíduos e estamos todos de PARABÉNS.

 

Raquel Jesus

Caça ao Tesouro na Serra de Sintra

Nos dias 1, 5 e 16 de junho realizou-se mais uma edição da atividade de Geocaching*, “Caça ao tesouro na encosta da Serra de Sintra”, passando por Colares Velho, Gigarós e Penedo. Por entre caminhos de pé posto e estradões de terra batida e, por entre bosques de espécies autóctones e invasoras, participaram todas as turmas do 7º ano e o 9ºA, da escola EBI de Colares. Esta atividade contou também com a participação de oito Pais/Encarregados de Educação.

Com esta iniciativa, deu-se oportunidade aos alunos de conhecer alguns lugares e caminhos menos conhecidos na encosta da serra de Sintra, sensibilizando-os para a importância que a natureza tem no nosso bem-estar, complementada com a utilização das tecnologias, Smartphone e GPS, para fomentar o convívio e a prática de exercício físico.

Foi certamente um dia diferente que, o passeio complementado com a utilização das tecnologias, permitiu aos alunos conhecerem mais alguns recantos e curiosidades sobre a linda Serra de Sintra e que, já no passado, foi fonte de inspiração para muitos escritores e poetas.

_

Ilhas de Bruma
“Serra de Sintra, em ti se iam pousando

Os olhos dos mareantes que abalavam,
E só por fim ao longe adivinhavam
A pátria entre neblinas ondeando.

Pedras sagradas, foi-vos desgastando
O olhar de tantos olhos que choravam;
Fostes o adeus de todos que ficavam,
E a saudade dos outros, navegando.

Em ti, serra marítima e da Lua
Paira a Saudade como a maresia,
Mágoa de amor tão alta e tão serena.

E quem depois voltava à pátria sua,
Ao mesmo tempo lá das ondas via
Terra de Portugal e sua pena…”

Afonso Lopes Vieira (1878-1946)

_

Um agradecimento especial aos meus colegas pela colaboração e boa disposição, os professores Dulce Mariano, Helena Matos, José Maria Silva, Liliana Cabral, Miguel Cunha, Olinda Jarra, Patrícia Alves, Patrícia Silva e Teresa Fernandes.

*O Geocaching é uma caça ao tesouro dos tempos modernos, jogado ao ar-livre em quase todo o mundo com um dispositivo GPS. A ideia base do jogo é dirigir-se até umas coordenadas específicas e encontrar a cache (caixa) escondida nesse local. Cada cache poderá ter também uma descrição sobre o local, realçando aspetos, culturais, históricos ou paisagísticos. Fonte: Website Geocaching.

_

Florbela Ribeiro

A Feira Quinhentista

No passado dia 3 de junho, a Escola Básica Integrada de Colares viveu momentos mágicos através da recriação de uma Feira Quinhentista.

Esta iniciativa partiu de um projeto da turma de Percursos Alternativos, 7.º C, que, desde o começo do ano letivo, mostrou interesse e vontade em realizar um projeto, no âmbito da disciplina “Organização do Projeto de Turma” que não a envolvesse apenas, mas sim toda a comunidade educativa e também local.

Barraquinhas e Público

Assim, desde logo, os alunos lançaram mãos ao trabalho e fizeram uma vasta pesquisa a vários níveis: desde a gastronomia aos divertimentos, passando pela música e trajes. Conforme o projeto foi ganhando amplitude, foi preciso estabelecermos parcerias para que a Feira Quinhentista fosse realmente possível. Para isso, estabeleceu-se, ainda em setembro, uma parceria com a DGESTE, através da Drª Madalena Corvo que, sendo responsável pelo espólio dos trajes alusivos à comemoração dos 500 anos dos Descobrimentos Portugueses, logo se prontificou na cedência de todo o vestuário necessário. É de referir que para além dos fatos, também foi possível trazer uma série de equipamento (loiças de barro, tochas, cercas para os animais entre muitos outros utensílios) que permitiram uma maior envolvência dos que visitaram a feira no ambiente do final da Idade Média. Garantir a boa manutenção deste espólio é uma mais-valia para que as escolas possam continuar a desenvolver projetos similares a este. Sem ele, dificilmente as escolas públicas conseguem arranjar meios que permitam organizar e concretizar iniciativas que envolvam projetos de “ História Viva”.

As Danças

A esta parceria outras se juntaram como a Câmara Municipal de Sintra e Junta de Freguesia de Colares: a primeira forneceu a barraquinha para as vendas e a segunda colaborou não só com os cartazes publicitários do evento como na cedência de transporte para a deslocação do material vindo da DGESTE.

Uma palavra para a Associação de Pais da Escola (ASPES): desde o primeiro momento, a ASPES foi uma entidade parceira que acompanhou e deu inúmeras sugestões que permitiram levar a bom rumo uma iniciativa que de pequena passou para uma escala de grandes dimensões. Desde logo, mostraram a sua total disponibilidade para o que fosse necessário e contribuíram com várias ideias e iniciativas, permitindo toda uma logística que de outra forma dificilmente seria possível.

Algumas Personagens

O movimento Danças com História, foi outro dos nossos preciosos parceiros. A ajuda incansável da Presidente e Vice- Presidente  que se deslocaram à nossa escola para os ensaios dos alunos em duas danças da época permitiu que, no início da feira, o público pudesse assistir a um momento de grande dinamismo, magia e majestosidade. Para além da turma do 7.º C o momento de dança contou com alunos de várias turmas, desde o 6.º ao 9.º ano, tornando este projeto uma iniciativa que envolveu toda a escola.

Participaram também os alunos do 4.º ano da professora Mónica que, trajados à época aderiram àfesta com muita alegria.

Os Jogos

Um envolvimento desta dimensão não teria sido possível sem a participação e colaboração incansável e intensa dos funcionários da escola, dos professores, dos pais, dos alunos que desde a “montagem” da Feira até ao seu final, estiveram sempre presentes.

Os Animais

Foi um dia bem passado, recheado de momentos inesquecíveis, onde o presente recuou, ainda que por breves horas, ao passado e foi possível tornar a escola num local onde o “espírito quinhentista” esteve presente nos jogos tradicionais, nas vestes, na gastronomia e na música.

Uma iniciativa peculiar numa escola que se quer dinâmica e rica em iniciativas propiciadoras de um envolvimento da comunidade educativa e o meio envolvente.

_

Patrícia Alves

Visita ao Museu de História Natural

 

No passado dia 16 de maio, as quatro turmas do 7º ano de escolaridade da EBI de Colares, visitaram o Museu de História Natural em Sintra, no âmbito da disciplina de Ciências Naturais. Neste museu, os alunos tiveram contacto com a exposição permanente, através da qual se “conta uma história” que começa com a formação do planeta Terra e as alterações que este sofreu ao longo de milhões de anos no decorrer das diferentes Épocas Geológicas, mostrando toda a evolução da vida através de coleções de fósseis, minerais e rochas oriundas das mais diversificadas partes do mundo.


Os alunos participaram com interesse e entusiasmo.

 

Liliana Cabral

Já conhece o Mappae Mundi?

 

Se gosta de mapas e de Matemática então visite este site http://mappaemundi.campus.ciencias.ulisboa.pt/ e fique a conhecer o Mappae Mundi, uma adaptação “The Sphere of the Earth”, um programa interativo de divulgação de Matemática, vencedor da competição internacional “Mathematics of the Planet Earth 2013”.

Daniel Ramos é o autor destes sítios, que apresentam diferentes mapas da Terra e trabalha nas áreas da Geometria Diferencial, Análise Geométrica e Comunicação de Ciência. Atualmente realiza em Portugal o segundo pós-doutoramento, no Centro de Matemática, Aplicações Fundamentais e Investigação Operacional da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

 

 

+ Ciências

Mappae Mundi de Daniel Ramos em Ciências

“Formas & Fórmulas”

IMAGINARY

Museu de Matemática da Catalunha

Museu Nacional de História Natural e da Ciência

 

Fonte da imagem: ACI Ciências ULisboa

Legenda da imagem: Apresentação do Mappae Mundi na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Quem não Tem… Joga com a Nova App

 

FC