Mário Castrim

Mário Castrim, pseudónimo de Manuel Nunes da Fonseca, trabalhou no jornal Diário de Lisboa, até ao seu encerramento, criando, em 1963, o Diário de Lisboa Juvenil. Foi colaborador do semanário Tal & Qual e tinha participação regular no Avante!, tendo enriquecido o jornal, praticamente até ao fim da vida, com os seus poemas. Desenvolveu imensa […]

João Guimarães Rosa

         “O importante e bonito do mundo é isso: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas, vão sempre mudando. Afinam e desafinam. Cada criatura é um rascunho a ser retocado sem cessar.” Herdando do pai a paixão pelas estórias, teve uma infância privilegiada, convivendo desde cedo com personagens encantadas criados […]

Lídia Jorge

          “É indispensável e quem pensa que se pode dispensar comete um erro absoluto. O papel mais importante da literatura é ela permitir que nós – com a matéria prima do pensamento, a gramática das palavras – alimentemos o nosso cérebro lento. A capacidade de reflexão, de invenção, de sonho, de evasão, que faz […]

José Viale Moutinho

Estreou-se em 1968 com a novela “Natureza Morta Iluminada”, seguindo-se-lhe “No País das Lágrimas” (1972), “Histórias do Tempo da Outra Senhora” (1974), “Romanceiro da Terra Morta“ (1988) e “Hotel Graben” (1998). Da sua obra poética destacam-se “Retrato de Braços Cruzados“ (1989), “As Portas Entreabertas“ (1991), “Caderno do Entardecer“ (1996) ou “Areias onde os Gregos se […]

Ana Teresa Pereira

     “Sabe, no fundo, eu acho que só é possível escrever sobre si próprio. A escrita é como os sonhos. Só se sonha sobre si próprio, consigo próprio. Depois, existem «disfarces». Mas estes «outros» têm sempre a ver com o «eu» que escreve.”      Ana Teresa Pereira nasceu em 1958 no Funchal, onde vive. […]

Helena Marques

  “[…] tudo o que recebemos tem de ser transmitido, dado, multiplicado nos outros […]” .                  .           .                             in “A Deusa Sentada” Nascida em Carcavelos, partiu ainda criança para a Madeira, de onde os seus pais eram originários, e aí frequentou o curso de Língua e Literatura Inglesa, iniciando, em 1957, a sua carreira de […]

José Luandino Vieira

Português de nascimento (natural de Lagoa do Furadouro, perto de Vila Nova de Ourém), José Vieira Mateus foi com os pais para Luanda quando tinha três anos, aí passou a infância e a juventude e concluiu os estudos secundários. Em homenagem à cidade onde cresceu e aprendeu Kimbundu (língua da região de Luanda e de […]